“Educar é contar histórias, é transformar a vida na brincadeira mais séria da sociedade.”

Todas as famílias foram convidadas a partilhar na exposição com algo que identificasse o seu país de origem, as tradições, algo de sua casa própria e que, ao qual a criança reconhecesse a sua pertença.

Seria este o nosso TESOURO!

Partilhamos um traje de celebrações oficiais de MARROCOS, um serviço de loiça típica da MOLDÁVIA, um adereço de Carnaval do BRASIL, a Torre Eiffel de PARIS,  o “elétrico” de LISBOA, de CAMPO MAIOR, as pandeiretas, o café, o “lecre”, as castanholas de ESPANHA e tão apreciadas nas zonas raianas…

Em época de Santos populares, não faltaram as “Sardinhas” de BORDALO PINHEIRO que fazem lembrar LISBOA e o MAR…

Sardinhas e mar… o Mar e os monstros… excelente alusão ao “ADAMASTOR”, a história de medos, marinheiros e aventura a descobrir outros mundos… e “um escritor que escreveu um livro a contar tudo”, chama-se CAMÕES e tem um olho tapado…  é a História! É PORTUGAL!

Obrigado a TODOS!

entre-a-terra-e-o-mar-Educar-e

Entre-a-Terra-e-o-Mar